“De Trás-os-Montes, um tinto português delicioso” 

Lucas Cordeiro

Localizada no nordeste de Portugal, a região vitivinícola de Trás-os-Montes (além das montanhas) carrega esse nome pitoresco não à toa.

Diz-se que, não importa por qual lado se dirija a Trás-os-Montes, você terá que atravessar montanhas.

Em termos de volume de vinhos, é uma das menores regiões de produção do país lusitano e tem pouca representatividade no Brasil

Só que, curiosamente, é uma área que tem tudo para a produção de bons vinhos:

  • variação de altitude, de 350 a 700 metros acima do nível do mar;
  • microclimas diversificados, com solos pobres em nutrientes;
  • verões quentes e secos aliados a invernos rigorosos, que muitas vezes alcançam temperaturas abaixo de 0 °C;
  • além de vinhas velhas, muitas com mais de 100 anos de idade.

Acontece que, por muito tempo, a produção da região foi de vinho a granel, com pouco investimento em qualidade. Porém, isso mudou.

Trás-os-Montes está passando por um renascimento, com muitos jovens agricultores se estabelecendo por lá focados em produzir vinhos de alta qualidade.

Nosso exemplar transmontano, o Vinhas De Rebordelo 2017, já é uma testemunha deste renascimento.

E nos surpreendemos por encontrar um ótimo nível de qualidade mesmo em um vinho destinado ao consumo cotidiano.

Dá para se encantar com os aromas frutados que entregam notas de ameixas e morangos, mesclados a alguns tons florais e de especiarias, sobre um discreto traço mineral.

O paladar apresenta certa estrutura, com muito frescor e taninos macios. Um vinho que faz boa presença à boca.

Produzido pela tradicional Adega Cooperativa do Rabaçal, fundada em 1979, a vinícola também percebeu o novo caminho a percorrer e fez a transição da quantidade para a qualidade.

Cruze as montanhas para além dos “lugares-comuns” dos vinhos portugueses e comece a descobrir o que há atrás das montanhas, aproveitando nossa bela oferta.

Abraços e boa degustação!