/Por Ana Beatriz Miranda

O champagne (champanhe, escrito em português) é o rei dos espumantes, um blend equilibrado com exatidão pelos produtores clássicos de Champagne. Por lá, a denominação de origem permite o uso de sete uvas, mas as mais utilizadas são Pinot Noir, Chardonnay e Pinot Meunier, fracionadas de acordo com a safra, a escolha e o talento do enólogo. Uma das características fundamentais do champagne é sua qualidade constante. Para que isso aconteça, diferentes safras são misturadas a fim de criar o vinho base que amadurecerá por pelo menos 15 meses antes de ir para o mercado. É exatamente por isso que a maioria dos champagnes não têm safra.  

As safras dependem do clima, algo que não podemos controlar. Logo, há anos bons e ruins para os vinhos. Então, a constância dos champagnes só podem ser alcançada com a mescla de vinhos de diferentes anos. Tudo a favor da personalidade e do estilo dessa bebida requintada. Entretanto, algumas safras são consideradas excepcionais, perfeitas, gloriosas. E quando acontece um ano assim, o champagne ganha safra e passa a ser classificado como vintage, também chamado de millésime

Tipos de champagne

Champagne Vintage ou Millésime

Além de ser elaborado com uvas de uma só safra, o champagne vintage precisa envelhecer por minimamente 36 meses — tempo que pode chegar a 10 anos — dentro das garrafas nas caves das vinícolas. Essa é uma das regras do Comitê do Champagne, que valida os champagnes vintages, embora a decisão seja exclusivamente do produtor. Um exemplar desse nível deve ter como qualidades maturidade elevada, bom corpo, profundidade aromática, personalidade única, estado sanitário perfeito e alto potencial de guarda. 

Champagne Não Vintage 

A maioria dos champagnes são não vintages, ou seja, não são safrados. Eles são elaborados a partir de uvas de diferentes vinhedos e com vinhos bases de diferentes safras, com o objetivo da constância de qualidade e estilo. O segredo está nos blends, nas proporções das uvas utilizadas. A mistura é considerada uma arte dos produtores, que guardam a sete chaves suas fórmulas especiais. 

Champagne Blanc de Blancs

E os champagnes chamados de Blanc de Blancs? São aqueles elaborados a partir de uvas brancas. Espumantes brancos, muitas vezes varietais de Chardonnay. Sim, uma exceção aos blends, característica marcante dos champagnes. Ainda que sejam majoritariamente varietais, os champagnes Blanc de Blancs podem ser blends de Chardonnay com parcelas mínimas de outras uvas brancas permitidas, Arbane, Petit Meslier, Pinot Blanc e Pinot Gris.  

Champagne Blanc de Noirs

Os champagnes Blanc de Noirs são elaborados a partir de uvas tintas apenas, Pinot Noir e Pinot Meunier. A produção não é tão comum, mas são vinhos surpreendentes, mais encorpados e intensos. Eles são brancos, apesar das uvas tintas. Durante a elaboração, as cascas das uvas são retiradas. Como são elas que possuem a pigmentação, o vinho resultante não adquire cor.  

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!