/Por Ana Beatriz Miranda

O vinho verde ganhou o paladar dos brasileiros nos últimos anos, principalmente no verão. As uvas mais utilizadas na produção do vinho verde são as brancas nativas de Portugal. Esse vinho português é elaborado na região demarcada homônima, que fica no Minho, no extremo noroeste do país. Ele é refrescante, leve, sutilmente frisante e perfeito para dias quentes. 

Uvas usadas no vinho verde

A Denominação de Origem Vinho Verde permite a elaboração de rótulos brancos, tintos, rosés e espumantes, embora os brancos sejam a maioria. 47 variedades, entre tintas e brancas, são permitidas. Entre as brancas, as que mais se destacam são a Alvarinho, Arinto, Avesso, Azal, Loureiro e Trajadura. As tintas mais cultivadas são Espadeiro, Padeiro, Alvarelhão, Amaral, Borraçal, Pedral, Rabo de Anho e Vinhão, sobretudo nas sub-regiões de Monção e Melgaço, onde há maior incidência solar e, portanto, as tintas amadurecem melhor. 

O terroir da DOC Vinho Verde

O terroir da região de Vinho Verde é privilegiado para o cultivo de uvas brancas. O território é banhado pelo Oceano Atlântico e faz divisa com a Espanha. Devido à influência dos ventos dos mares, a região tem clima frio e úmido. O solo granítico favorece a profundidade das raízes das videiras e confere um perfil mineral aos vinhos, característica que torna os vinhos verdes ainda mais interessantes.  

Harmonização com vinho verde

Os vinhos verdes têm alta acidez e, por isso, são companhias deliciosas para as refeições. Como são leves e elegantes, eles pedem pratos suaves. Saladas e carnes brancas, por exemplo, são boas opções. Por causa do caráter fresco, o vinho verde também combina com fritura. Frutos do mar e peixes são escolhas certeiras, pelos sabores mais delicados. Se a receita for tipicamente portuguesa, então, à base de bacalhau, polvo e sardinha, melhor ainda!

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!