/Por Ana Beatriz Miranda

O vinho chileno é um dos preferidos dos apreciadores da bebida do Novo Mundo, inclusive no Brasil. Os números relacionados ao vinho no Chile são surpreendentes, tendo em vista a pequena  extensão territorial do país estreito e comprido, com cenários tão distintos entre cordilheiras, geleiras, deserto, lagos e vulcões. Ao norte o deserto do Atacama, ao sul, geleiras, ao oeste a Cordilheira da Costa e ao leste, a Cordilheira dos Andes. Mesmo com suas condições diferenciadas, o país andino possui uma grande quantidade de regiões vitivinícolas, com diversidade de uvas e estilos de vinhos. 

A história do vinho chileno começou com a chegada dos colonizadores espanhóis, mas apenas com a independência do país, em 1818, é que a bebida se tornou um dos principais expoentes chilenos. O vinho era parte essencial dos rituais religiosos e, por isso, os missionários cultivavam videiras onde chegavam. Os espanhóis logo notaram o quanto as uvas se deram bem em terras chilenas, expandindo o cultivo por todo país e colhendo o lucro da exportação da bebida.

No início do século 19, com a independência chilena, o país adquiriu sua própria personalidade na viticultura, criando novas técnicas e libertando-se do estilo europeu. Novas variedades passaram a ser plantadas, outros territórios foram explorados, mostrando todo o potencial do terroir do Chile. O vinho chileno ganhou ainda mais destaque quando a praga filoxera atingiu boa parte dos vinhedos do Velho Mundo. Como as videiras chilenas não foram acometidas, devido às barreiras geográficas, os exemplares locais passaram a ser muito mais procurados, se consolidando no mercado internacional. 

A Segunda Guerra Mundial e os episódios políticos que acometeram o Chile nas décadas de 70 e 80 frearam o desenvolvimento enológico do país, que se recuperou a partir dos anos 90, com estímulos fiscais e tecnológicos. A ascensão segue até hoje, reposicionando o vinho chileno entre os grandes nomes do mundo. Com excelente relação custo e benefício, os exemplares andinos conquistam mais e mais enófilos a cada dia.   

Principais regiões produtoras de vinho chileno

Aconcágua

A região de Aconcágua é a mais seca e quente do país. É um território de alta altitude, próximo à Cordilheira dos Andes e com grande amplitude térmica. As uvas mais cultivadas são as típicas francesas Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah

Casablanca

A região de Casablanca produz alguns dos vinhos brancos mais interessantes do Chile, de Chardonnay e Sauvignon Blanc. A proximidade marítima confere características únicas aos vinhos, além da névoa pesada que envolve os vinhedos.  A uva Pinot Noir também se destaca na região. 

Vale Central

O Vale Central engloba outros vários vales, como Maipo, Rapel, Curicó e Maule. 

Vale do Maipo

O Vale do Maipo é uma das mais históricas regiões produtoras do Chile. É o local mais próximo da capital Santiago e onde a uva Cabernet Sauvignon brilha mais intensamente. 

Vale de Rapel

Rapel é um vale bastante extenso que percorre grande parte das montanhas chilenas Essa região tem grande rendimento na produção de vinhos, sendo responsável por cerca de um quarto do total. As uvas tintas têm destaque por lá, mas também há grandes brancos. 

Colchagua

Localizada mais ao sul do Rapel, Colchagua tem clima quente e frescor das brisas oceânicas. Possui grande potencial, sobretudo com as uvas Cabernet Sauvignon, Carménère e Syrah. 

Cachapoal

O Cachapoal está localizado próximo aos Andes e produz os vinhos mais elegantes do país. Os vinhos tintos, com uvas de origem francesa, são os que mais se destacam.  

Curicó

A região de Curicó está cercada por montanhas e tem um clima muito peculiar. As cadeias montanhosas bloqueiam as influências marítimas e isolam os vinhedos. Miguel Torres, uma dos principais nomes da viticultura espanhola, se estabeleceu no local, elevando o nível da região. 

Vale do Maule

O Maule é a região de maior extensão territorial do Chile. Por lá, são elaborados os mais variados tipos de vinhos e cultivadas as mais diversas castas. Embora esteja mais associado à quantidade do que à qualidade, o Maule produz vinhos de excelência também. 

Limarí

Limarí está localizado no norte do país, mais próxima ao deserto do Atacama. O clima é árido e quente, mas também tem influência da brisa do mar, gerando vinhos muito especiais. As uvas Chardonnay e Syrah se destacam por lá.

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!