/Por Ana Beatriz Miranda

A Patagônia está localizada no extremo sul da América Latina e engloba uma parte do Chile e outra da Argentina. A área que cultiva vinhedos, a partir dos quais nascem vinhos cada dia mais apreciados, fica toda em território argentino. Os rótulos patagônicos encantam pela intensidade de aromas, sabores e pelo refinamento. 

Quando falamos de vinho argentino, Mendoza é a primeira região que nos vêm à mente, mas a Patagônia também tem seu lugar ao sol. A produção de vinhos no local é relativamente recente, tendo iniciado no século 20. Um projeto britânico usou águas do Rio Negro, um dos mais importante da região, para irrigar um vale que seria utilizado para o cultivo de maçãs, peras e marmelo. Os ingleses resolveram plantar videiras também, para ver como se sairiam. O resultado foi uma excelente adaptação ao terroir da Patagônia, gerando uvas e vinhos de alta qualidade. 

O enoturismo da região é cheio de belezas naturais e exóticas, com vinhos inesquecíveis e gastronomia irresistível, com protagonistas como centolla, merluza negra e cordeiro. A centolla é o caranguejo gigante das águas frias. Os locais imperdíveis são Ushuaia, a cidade mais austral da Terra, chamada de “fim do mundo”, El Calafate, onde fica o Perito Moreno, uma montanha de neve compactada, Patrimônio da Humanidade e considerado a oitava maravilha do mundo. 

Principais regiões vinícolas da Patagônia

A Patagônia fica entre Buenos Aires, a capital argentina, e a Cordilheira dos Andes. A principal característica do seu terroir é a influência do vento gelado da Antártida, que impede inúmeras doenças das vinhas. As duas principais regiões vinícolas são Rio Negro e Neuquém. 

Rio Negro

A região de Rio Negro tem altitude baixa, pouca chuva, mas boa insolação. O frio extremo não é pelo relevo e nem pelos Andes e, sim, pela proximidade com a Antártida. A amplitude térmica local é bastante alta, com dias muito quentes e noite muito frias, favorecendo o cultivo de Pinot Noir e Merlot. A boa incidência solar garante o amadurecimento perfeito das uvas, gerando taninos maduros, pouco açúcar residual e acidez equilibrada. 

Neuquém

Mais próxima ao Chile, a sudoeste de Rio Negro, fica a região de Neuquém. O solo é formado por sedimentos carregados pelos ventos, muitos vindos do mar. A amplitude térmica é uma das maiores que existem, com quase 20 graus de diferença entre dias e noites. As chuvas são muito escassas e os ventos são intensos. Os vinhos de Neuquém são expressivos, estruturados, com coloração forte, aromas ricos, taninos macios e boa acidez. As uvas mais cultivadas são as brancas Chardonnay e Sauvignon Blanc, e as tintas Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Malbec e Syrah

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!