/Por Ana Beatriz Miranda

Assim como a Malbec, a uva Tannat não é originária do país onde mais se destaca. A Argentina é o palco principal da Malbec, enquanto a Tannat brilha intensamente no Uruguai, embora ambas sejam variedades francesas. 

Origem da uva Tannat

A uva Tannat nasceu na região de Madiran, próxima à cordilheira dos Pinineus, que separa a Península Ibérica do resto da Europa. Ela foi trazida para a América Latina no século 19 e encontrou em terras uruguaias condições ideais para amadurecer e apresentar um perfil potente, mas de muita qualidade. 

Na França, a Tannat até então se mostrava uma uva que gerava vinhos duros, com taninos demasiadamente agressivos. Bebidas fortes demais, praticamente rústicas e sem sofisticação. No Uruguai, ela ganhou a elegância que merece, gerando exemplares poderosos, sim, só que macios e saborosos. 

Características da Tannat

As videiras dessa variedade formam cachos grandes e cheios, com uvas médias e levemente alongadas. São frutas bastante escuras, pela grande quantidade de taninos, tanto na casca quanto na polpa. Inclusive o nome Tannat é uma referência ao caráter tânico dessa uva. 

Os taninos, aliás, fazem dos vinhos feitos de Tannat excelentes antioxidantes. Pesquisadores concluíram que, se consumido moderadamente por pessoas saudáveis, os rótulos de Tannat podem ajudar a prevenir muitas doenças, sobretudo as cardiovasculares. 

Aromas e sabores da uva Tannat

Os vinhos de Tannat são naturalmente estruturados e encorpados. A acidez e o álcool são balanceados para equilibrar os taninos. São rótulos de personalidade e presença, do tipo que quando se gosta, gosta muito. Os aromas são de frutas negras e vermelhas, com nuances de especiarias e couro. Quando amadurecem em carvalho, trazem notas de tabaco, cacau e café, além de conferir mais maciez aos taninos. São bebidas atraentes, que combinam com receitas robustas, principalmente à base de carne vermelha. 

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!