/Por Ana Beatriz Miranda

A rolha de cortiça é um dos vedantes do vinho mais intimamente relacionado ao ritual da bebida. Não há dúvidas quanto a isso. Quem nunca sacou a rolha com cerimônia e deu uma conferida nela, admirando-a e sentindo seu aroma? Mas, embora a cortiça seja o mais tradicional, existem muitos outros materiais que cumprem perfeitamente o papel de impedir que o líquido tenha contato com o oxigênio. O screw cap, o vinolok e as rolhas sintéticas são os principais.

Mesmo que a cortiça exerça esse papel cerimonioso, sua função principal é fechar a garrafa e preservar o vinho. Exatamente igual aos outros materiais. Inclusive, alguns deles cumprem o objetivo com mais eficiência. Isso porque a cortiça pode permitir a passagem de ar e microrganismos que causam uma contaminação ao vinho, chamada de “defeito de rolha” ou bouchonée. Nele, a bebida adquire um cheiro de papelão molhado ou mofo. Entretanto, barricas de carvalho e o próprio vinho também podem ser a origem do problema. 

A escolha dos vedantes do vinho é uma das decisões do produtor e tem relação direta com o preço e o estilo da bebida. Uma vinícola, por exemplo, pode decidir estrategicamente usar um vedante mais barato para abaixar o preço da garrafa ou, ao contrário, pode usar uma rolha de cortiça maciça para valorizar o valor final do produto.  

Tipos de vedantes do vinho

Rolha de cortiça

A cortiça é retirada de uma árvore chamada sobreiro, muito encontrada em Portugal. Ela é leve, flexível, reciclável, elástica, impermeável e de alta qualidade, mas também é mais cara. Os vinhos mais sofisticados sempre são vedados com a rolha de cortiça maciça, tirada intacta do sobreiro. Os outros tipos são a rolha colmatada, que é quase inteiriça, mas tem alguns defeitinhos preenchidos com pó de cortiça. Há a rolha de cortiça aglomerada, feita com pedaços de cortiça moldados ou pequenos discos unidos com uma cola especial. A rolha capsulada ou T-cork é feita a partir de um pedaço de cortiça colado com plástico ou madeira. É muito usada em vinhos do Porto.   

Rolha sintética

Feitas com polímeros específicos, como o plástico, a rolha sintética foi criada como uma opção mais barata que a cortiça. Ela é mais leve, mais resistente, não esfarela e nem se quebra com facilidade. Esse tipo de vedante é muito usado em vinhos mais baratos e é facílimo de abrir com o saca-rolhas, se soltando rapidamente da garrafa. 

Vinolok 

O vinolok é a rolha de vidro, também chamado de vinoseal. Ele não é muito comum, mas tem muito charme e elegância. Ele tem um anel de vedação feito com material sintético que se acopla à garrafa, impedindo a passagem do oxigênio. É prático, fácil de abrir e tem a grande vantagem de vedar a garrafa de novo perfeitamente, ao contrário das rolhas sintéticas e de cortiça. 

Screw cap

O screw cap é um dos vedantes mais populares atualmente. Ele é uma tampa de rosca e, para ser aberto precisa ser rosqueado no gargalo da garrafa. Ele é composto por uma cápsula de PVC ou metálica (feita de estanho ou alumínio) e um anel de vedação inserido na parte superior da tampa. A praticidade e rapidez na hora de abrir o vinho são as razões para o sucesso cada vez maior desse vedante. Em alguns países, o seu uso representa mais de 80% dos rótulos produzidos, independentemente se é um vinho para consumo rápido ou não.   

Experimente nossas seleções e viva a melhor e mais abrangente experiência enológica. Associe-se!