/Por Ana Beatriz Miranda

O álcool, a acidez e os taninos são características do vinho que conseguimos notar. Mas o açúcar talvez seja o aspecto mais facilmente sentido no paladar. Normalmente, o açúcar do vinho vem da própria uva. O que sentimos quando degustamos um paladar é apenas uma quantidade residual.

O açúcar das uvas é primordial para a existência do vinho, já que as leveduras consomem-no para produzir álcool e gás carbônico. O gás evapora, ficando o álcool e também uma quantidade de açúcar residual.

No vinho, o álcool e o açúcar são diretamente proporcionais. Quanto mais açúcares as variedades tiverem, mais alcoólica a bebida será. Dessa forma, os enólogos conseguem determinar o potencial de álcool do vinho ainda com as uvas nas videiras, medindo constantemente a concentração de açúcar. Assim que o valor que o produtor deseja é atingido, inicia-se a colheita.

As influências do clima e da acidez na concentração de açúcar no vinho

Além das características das próprias uvas, o clima interfere diretamente na concentração de açúcar. Quanto mais quente, mais rapidamente é o amadurecimento das castas e a concentração de açúcares. É por isso que muitos vinhos do Novo Mundo são mais frutados, mais alcoólicos e têm mais açúcar residual. Já nos climas mais frios, acontece o contrário.

A acidez também tem grande relação com a percepção da doçura do vinho. Os rótulos que têm mais acidez geralmente apresentam menos dulçor em boca, ainda que tenha bastante açúcar residual. Os vinhos que são servidos muito gelados também disfarçam a doçura.

Por esse lado, é importante entender que nem sempre a classificação do vinho quanto ao teor de açúcar vai retratar fielmente a quantidade de açúcar que ele tem. Segundo a legislação brasileira, vinhos meio secos têm de 4 a 25 gramas de açúcar por litro. O espectro é bem grande, então um exemplar meio seco pode ser nada doce no paladar ou bastante doce.

Saber suas preferências de acordo com a doçura do vinho no paladar ajuda bastante na decisão de compra. Entenda o que você aprecia mais, tendo em mente que as pessoas têm tolerâncias diferentes para o doce. Alguns se deliciam e outros não toleram.