A empresa Total Energies revelou que seu novo combustível de bioetanol, produzido com sobras da indústria vinícola francesa, seria lançado para carros de corrida no Campeonato Mundial de Enduro da FIA na próxima temporada.

Batizado de Excellium Racing 100, o combustível “renovável” estará nos carros da corrida 24 Horas de Le Mans em 2022. A Fédération Internationale de l’Automobile (FIA), inclusive, apoia os esforços para desenvolver fontes de combustível e energia mais sustentáveis para carros de corrida, inclusive na Fórmula 1.

“Esse combustível deve permitir uma redução imediata de pelo menos 65% das emissões de CO2 dos carros de corrida”, disse a Total Energies. Feito de sobras de materiais da vinificação, como borras de vinho e bagaço de uva, o grupo explica que o processo de produção envolve “fermentação industrial, destilação e desidratação”.

Essa base, então, é misturada com ETBE (éter etil-terc-butílico), um subproduto feito de etanol, e outros aditivos para desempenho. “O principal objetivo da FIA é implementar fontes de energia sustentáveis em todo o seu portfólio de automobilismo”, disse Jean Todt, presidente da companhia.

A Fórmula 1, por exemplo, pretende zerar a emissão de carbono até 2030. O conceito também ganhou maior visibilidade em 2008, quando se descobriu que o príncipe Charles, no Reino Unido, havia convertido seu Aston Martin para funcionar com combustível feito de resíduos de vinho e soro de leite.