/Por Ana Beatriz Miranda

A colheita das uvas, também chamada de vindima, é uma etapa importantíssima na elaboração de um vinho. A decisão do momento exato de retirar os frutos da videira é feita de acordo com o estilo da bebida que se quer fazer e, principalmente, se as quantidades desejadas de açúcar e acidez foram atingidas. É possível que você já tenho ouvido falar da colheita noturna, em que os produtores fazem a vindima na calada da noite.

A razão principal de se colher as uvas antes do sol raiar é a temperatura. Sobretudo em regiões mais quentes. No friozinho da madrugada, as uvas preservam suas características naturais, especialmente os aromas. O calor pode amolecer as polpas, reduzir a acidez e concentrar açúcares. Se um enólogo quer o oposto disso, vai optar pela colheita noturna.

Embora não haja confirmação, é provável que esse tipo de vindima tenha surgido na Califórnia, nos EUA, nos anos 70. Foi nessa época também que muitos produtores locais mecanizaram a colheita, agilizando o processo e reduzindo os custos de funcionários.

Ainda hoje se faz mais colheita noturna com maquinário e menos com mão de obra humana. Isso porque os encargos trabalhistas à noite são maiores. Outra vantagem é a redução do gasto de energia, já que as uvas já chegam frias nas adegas e não precisam ser resfriadas antes da fermentação.

Além dos Estados Unidos, vários outros países produtores de vinhos optam pela vindima noturna, principalmente em regiões com temperaturas elevadas durante o dia. Austrália, Brasil e Espanha são alguns deles. Na França, Provence e Borgonha também fazem uso da vindima sob o luar. Uvas destinadas à produção de brancos, rosés e espumantes costumam ser as preferidas, já que devem preservar seu frescor e caráter aromático.

Além dos vários benefícios, a colheita noturna ainda traz um ar de romantismo à elaboração da nossa bebida favorita, que por si só já tem uma aura de magia. Por isso, é comum ver estampado o termo Colheita Noturna ou Night Harvest, em inglês, nos rótulos dos vinhos feitos de uvas colhidas sob a luz das estrelas.