/Por Ana Beatriz Miranda

Languedoc-Roussillon é uma região francesa localizada na costa do país. Ela faz fronteira com a Espanha e é também chamada apenas de Languedoc. A origem do seu nome é curiosa. “Oc” era a forma de se dizer “sim” no sul francês, enquanto no norte se dizia “oïl”. Então o nome da localidade ficou Langue d’Oc, “língua do oc”.

Por muito tempo, os vinhos produzidos no Languedoc eram para o consumo interno, a preços baixos. O prestígio veio depois, por volta dos anos 80, quando os produtores elevaram a qualidade, chegando a exemplares de tipos variados, com destaque para tintos frutados e robustos, com excelente relação custo e benefício, o melhor da França.

Hoje Languedoc-Roussillon é responsável por um terço da produção de vinhos da França. Os vinhedos da região têm vista para o Mediterrâneo, com o clima perfeito para o cultivo, de verões ensolarados, poucas chuvas, ventos quentes e inverno ameno.

Tradicionalmente, a Carignan é a uva de destaque, mas atualmente muitas outras têm brilhado. Grenache, Mourvèdre, Syrah, Merlot, Cinsault e Cabernet Sauvignon, entres as tintas. Picpoul, Muscat, Maccabéo, Clairette, Rollet, Bouboulenc, Sauvignon Blanc, Viognier, Marsanne e Chardonnay, entre as brancas.

Por causa da boa adaptação de uma grande diversidade de uvas, há uma produção muito variada por lá. Os tintos Vin de Pays d’Oc são deliciosos e cheios de tipicidade. Os brancos são impressionantes, dos secos aos doces. Sem falar do precioso espumante Crémant de Limoux, de estilo similar ao champanhe. 

Vale a pena desbravar essa bela região francesa através de seus vinhos únicos. E, claro, se for possível, conhecer as belezas locais, com praias, colinas verdejantes, construções medievais e toda a personalidade mediterrânea.