/Por Ana Beatriz Miranda

Entre os muitos destinos enoturísticos que existem, há países produtores e regiões que ainda não são tão conhecidas do público em geral, mas têm um excelente enoturismo. Se você já conhece os lugares mais clássicos, vale a pena incluir na lista destinos exóticos. Além de conhecer vinhos diferentes, você ainda vai se aprofundar na cultura vitivinícola e gastronômica de regiões surpreendentes.

Confira dicas de destinos enoturísticos exóticos!

Vale do São Francisco, Brasil

Quando falamos em vinhos brasileiros, a região Sul do país, sobretudo a Serra Gaúcha, é a área que vem à mente de imediato. Mas por aqui há outras regiões produtoras incríveis que têm se destacado no cenário mundial. O Vale do São Francisco é uma delas.

Localizado no coração da Caatinga, perto da linha do Equador e entre os estados de Pernambuco e Bahia, o vale produz vinhos tropicais simplesmente deliciosos. A irrigação e as boas condições climáticas garantem colheita o ano todo.

O enoturismo local está se estruturando cada vez mais. Você pode conhecer vinícolas, passear entre os vinhedos, fazer tours e degustações, além de conhecer a Rota Vapor do Vinho, com passeio de barco no rio São Francisco.

Capadócia, Turquia

A Turquia produz vinhos há muitos séculos, tendo uma enorme extensão de vinhedos por todo país. A maior parte das uvas vai para produção de sucos, consumi in natura e uvas passas, já que o país é majoritariamente muçulmano e o consumo de álcool é ínfimo.

Porém, a produção de vinhos turcos começou a se desenvolver nos anos 20, alcançando status mundiais importantes. Há muitas uvas autóctones encantadoras e muitas vinícolas recebem visitantes. A Capadócia tem produtoras subterrâneas impressionantes, que contam a história do vinho. Sem falar da gastronomia local com sua explosão de aromas e sabores. 

Naoussa, Norte da Grécia

A região de Naoussa fica na unidade regional de Imathia, na Macedônia e é um dos mais interessantes lugares para conhecer o vinho grego e se aprofundar na história da bebida. O local é rodeado pelas Montanhas Vermio e é o berço de ninguém menos que Dionísio, o deus grego do vinho.

A Grécia é uma produtora secular, ainda que só tenha começado a se destacar no mercado internacional a partir do século 20. As uvas autóctones são destaque, assim como os vinhos brancos doces e os tintos profundos. Em Naoussa, é possível visitar diversas vinícolas, com programas imperdíveis. Por lá, há um Museu do Vinho e da Vinha, que traz exposições valiosas e históricas.

Ilha da Madeira, Portugal

Produtora do célebre fortificado vinho Madeira, a Ilha de mesmo nome é conhecida como a pérola do Atlântico. O arquipélago fica a cerca de 1000 km de Portugal Continental e é composto pela Ilha da Madeira, Porto Santo, Ilhas Desertas e Ilhas Selvagens.

Ainda que não seja extremamente popular entre os enófilos, a ilha tem um enoturismo muito forte. O cenário é deslumbrante, com falésias impressionantes, colinas verdejantes e vinhedos suspensos. Há aldeias preservadas com construções portuguesas icônicas.

Funchal é a capital do arquipélago e oferece atividades variadas. As caves do vinho Madeira são abertas à visitação. Lá é possível provas exemplares de várias safras. Sendo muitas, inclusive, verdadeiras raridades. Entre final de agosto e início de setembro acontece a Festa do Vinho Madeira, para festejar a colheita.

Okanagan, Canadá

O Canadá não é um destino óbvio para quem aprecia vinho. A maior parte da produção é para consumo interno ainda. Isso tem mudado um pouco nos últimos anos, com vinhos canadenses sendo cada vez mais difundidos, sobretudo os ice wines, feitos de uvas congeladas. Okanagan fica na Columbia Britânica, próxima de Vancouver.

A maior parte da produção é de vinhos brancos, mas tintos de Pinot Noir e Merlot também são comuns. Por lá há muitas vinícolas de excelência que convidam a uma experiência surpreendente. A vista é belíssima e vale a pena passear pelos vinhedos de bicicleta.