/Por Ana Beatriz Miranda

O vinho é uma bebida viva, que evolui durante o tempo. Mas desde a videira as uvas já apresentam pequenas diferenças a cada ano, de acordo com as influências climáticas e ambientais. Além disso, há técnicas diferentes de vinificação que também interferem na produção. Por isso tudo, saber o que significa a safra de vinho é importante.

A safra de vinho, geralmente estampada no rótulo, é o ano em que as uvas foram colhidas. Não precisa ser a totalidade delas, mas a grande maioria. Isso varia de país para país. Nos Estados Unidos, por exemplo, 95% das uvas devem ter sido colhidas naquele ano que estará no rótulo. No Chile, 85%.

Durante a degustação, a safra é sempre levada em consideração porque ela tem relação direta com os aromas, os sabores e a longevidade do vinho. Com a tecnologia da viticultura, hoje é possível manter certo padrão, mas ainda assim o clima é primordial na expressão das uvas e, consequentemente, da bebida.

Vinhos de clima quente costumam ser mais potentes, adocicados e alcoólicos, enquanto os de clima frio são mais frescos, delicados e herbáceos. A média de chuvas também impacta diretamente as características do vinho. Então a atenção do enólogo às previsões climáticas precisa ser constante. Para se ter uma ideia, uma safra considerada boa pode elevar muito o preço do vinho, da mesma forma que uma safra ruim pode decair o valor.

Talvez você possa ter notado que nem todo vinho traz o termo safra do rótulo. Alguns trazem os sinônimos: colheita, vintage, vindima, millésime, añada, vendange, vendemmia, annata, millesimato, cosecha, jahrgang, raccolta e harvest.

Vinhos não safrados

E o champanhe e o vinho do Porto que não trazem safras nos rótulos? Essa é a intenção do enólogo. Para que a bebida tenha o mesmo estilo independentemente de como for o ano, os produtores misturam safras diferentes até chegarem a um resultado padronizado.

Sendo assim, um mesmo exemplar tem vinhos de vários anos misturados e não traz a safra. Há também o fato de que, em alguns países, a legislação não obriga os produtores a especificar a safra. Então pode ser até que o vinho seja feito com uvas de um mesmo ano, mas isso não é repassado aos consumidores.