/Por Carolina Almeida

Os leilões regulares deverão acontecer em Bordeaux e na Borgonha, os principais polos do vinho francês, e foram viabilizados em meio a uma forte demanda global de colecionadores, com as vendas da Sotheby’s atingindo 58 milhões de dólares apenas no primeiro semestre de 2021, frente aos 92 milhões de dólares de 2020.

De acordo com Jamie Ritchie, diretor mundial de vinhos da leiloeira, a França deve se tornar um dos mais importantes mercados, proporcionando um acesso maior de países da Europa Continental.

“Mais de 85% do valor das vendas da Sotheby’s é de vinhos franceses, então já deveríamos ter feito isso há muito tempo”, disse Ritchie à revista Decanter. Em 2020, os vinhos da Borgonha representaram 41% das vendas da casa de leilões, enquanto os Bordeaux foram 26% dos rótulos comercializados.