/Por Ana Beatriz Miranda

A Carignan é uma uva nativa da Espanha que se espalhou para diversos outros países produtores de forma bem-sucedida. Nome é o que não falta para essa variedade: há pelo menos 68 maneiras de nomeá-la, sendo Carignan e Cariñena as mais conhecidas.

Nomes da Carignan

  • Babonenc
  • Bois Dur
  • Boue Duro
  • Cagnolaro Tinto
  • Carignan Mouillan
  • Carignano
  • Cariñena
  • Catalan
  • Cencibel
  • Crujillon
  • Crusillo
  • Girarde
  • Legno Duro
  • Manuelo Tinto
  • Mataro
  • Mazuelo
  • Mollard
  • Monestel
  • Plant de Ledenon
  • Roussillonen
  • Samso
  • Samso Crusillo
  • Sopatna Blau
  • Tinto Mazuela
  • Uva di Spagna

Ela absorve e expressa surpreendentemente bem o terroir onde é cultivada. Por isso, é versátil e dá origem a vinhos de vários estilos, entre varietais e assemblages.

Não se sabe ao certo, mas é provável que a Carignan tenha surgido na Espanha, mais especificamente na região de Aragón, perto da cidade de Zaragoza. Hoje ela se destaca mais no Priorat, ainda em terras espanholas. Por lá, as vinhas velhas dessa casta geram vinho de excelente qualidade.

Fora da Espanha, ela se destaca na França, na Itália e no Chile. Languedoc-Roussillon é a região francesa onde ela se deu melhor, sendo inclusive a tinta mais plantada do país por um tempo.

Essa variedade não tem cultivo tão fácil e é preciso muito cuidado dos produtores. Ela tem alto rendimento, mas necessita de controle de rendimento para a garantia de bons frutos.

Quanto às suas características, os vinhos de Carignan têm coloração escura. Os aromas mais comuns são de frutas vermelhas e negras, especiarias como anis-estrelado, canela e cravo, além de fumaça e tabaco. No paladar, são exemplares que lembram os feitos com Garnacha, Zinfandel e Syrah, elegantes e expressivos.

sociedade-da-mesa