/Por Ana Beatriz Miranda

Nada mais apetitoso — e brasileiro — que comida de boteco para encontrar os amigos e botar o papo em dia. Receitas simples e feitas para petiscar, elas normalmente são combinadas com cerveja. Mas sabia que você pode fazer uma harmonização ainda mais deliciosa com vinho? Sim!

A cerveja é uma bebida que sacia o apetite por si só e combiná-la com comida pode ser um desafio. Já o vinho nasceu para ser apreciado com alimentos. A questão é saber combiná-los para uma experiência boa. Confira dicas para combinar comidas de boteco clássicas com vinho.

Torresmo

O torresminho não pode faltar quando o assunto é comida de boteco. Irresistível, ele está presente nos barzinhos dos quatro cantos do Brasil. Para harmonizar, escolha um espumante frutado e fresco, elaborado pelo método Charmat, para “limpar” o paladar e equilibrar a gordura do torresmo. Um prosecco, por exemplo.

Calabresa acebolada

A calabresa acebolada é um dos pratos mais pedidos em botecos país afora. Como é um embutido de sabor pronunciado, você pode combinar com um vinho elaborado com uvas mais potentes, como Malbec, Syrah e Cabernet Sauvignon, de safras recentes e sem passagem por barricas de carvalho.

Iscas de fígado com jiló

As iscas de fígado com jiló são controversas: quem gosta, ama, e quem não curte, nem chega perto. O prato traz sabores com notas amargas, tanto o fígado quanto o jiló. Sendo assim, o ideal é escolher um vinho tinto que tenha uma boa quantidade de taninos, como um Tannat ou um Nebbiolo.  

Frango a passarinho

Outro grande clássico dos bares, o frango a passarinho tem boa dose de gordura e, por isso, pede um vinho que tenha acidez marcante. A receita fica incrível com vinhos brancos jovens, elaborados com uvas conhecidamente ácidas, como a Sauvignon Blanc, a Riesling e a Alvarinho.

Dadinho de tapioca

O dadinho de tapioca talvez seja o prato menos conhecido da lista, mas já tem conquistado fãs apaixonados. Leve e delicada, a receita leva queijo coalho e acompanha molhos adocicados, como geleia de pimenta ou melado de cana. Para harmonizar, escolha um blend bordalês, que vai complementar os sabores, ou um espumante demi-sec, que tem acidez e doçura na medida certa.

Bolinho de feijoada

O bolinho de feijoada também é uma receita mais recente que tem ganhado espaço nos botecos. Esse prato consegue reunir os sabores intensos da feijoada em um bolinho frito irresistível. Você pode harmonizar com espumante brut, que “limpa” o paladar, um belo rosé da Provence, que não vai se sobrepor ao prato e nem vai desaparecer, ou um vinho verde, cuja acidez é perfeita para aguentar a potência do bolinho de feijoada.