/Por Ana Beatriz Miranda

O Chile possui condições geográficas únicas. E não à toa seus vinhos são célebres no mundo todo, elaborados em vales dos mais diversificados solos e microclimas. Os famosos vales chilenos. O país andino fica em uma área longitudinal, comprida, que tem cenários completamente diferentes. Tem deserto, geleira, vulcão, lagos e cordilheiras imponentes.

O deserto do Atacama fica no norte do país, as geleiras ficam ao sul, a Cordilheira da Costa a oeste e a Cordilheira dos Andes a leste. Os vales chilenos ficam localizados entre colinas ou montanhas. Tecnicamente, vale é uma região de baixa a média altitude cercada por outras mais altas.

Os vales chilenos

Crédito: Wines of Chile

Quando o assunto é vinho, o Chile é dividido em quatro sub-regiões produtoras: Coquimbo, Aconcágua, Vale Central e Região Sul. Cada uma delas é composta por vários vales, com características de terroir específicas.

Coquimbo

Coquimbo é uma denominação de origem que engloba os vales de Limarí, Elqui e Choapa.

1) Vale do Limarí

Limarí é a região produtora mais ao norte do Chile, próxima ao deserto do Atacama. O clima é quente e seco, mas há influência do mar, o que gera vinhos minerais incríveis. Chardonnay e Syrah se destacam.

2) Vale de Elqui

Elqui é uma região produtora bastante recente, é próxima da Cordilheira dos Andes e seus vinhos elaborados com a Syrah têm conquistado especialistas e enófilos.

3) Vale de Choapa

Choapa é uma área estreita que fica entre as gigantes Cordilheira dos Andes e Cordilheira da Costa. O solo é rochoso e a produção vitivinícola é bem pequena, mas poderosa. Cabernet Sauvignon e Syrah se adaptaram muito bem no local.

Aconcágua

É a região mais quente e seca do país. Tem altitude mais elevada e grande amplitude térmica. Seus vales são Aconcágua, Casablanca e Santo Antonio.

1) Vale do Aconcágua

O vale é formado pela descida do rio homônimo cercado de montanhas. Os vinhedos ficam tanto próximos ao rio quanto aos pés nas colinas. A Syrah é a uva que mais brilha na região.

2) Vale de Casablanca

Casablanca fica incrustada no meio da Cordilheira da Costa e é a terra de alguns dos vinhos brancos mais especiais do Chile. Por lá há uma névoa pesada que envolve os vinhedos, além da influência marítima, garantindo uvas de qualidade espetacular. Os rótulos de Pinot Noir também são fascinantes.  

3) Vale de Santo Antonio

O vale de Santo Antonio fica próximo ao Pacífico e tem bastante influência marítima em seus exemplares. Uvas brancas e tintas que se dão bem em clima frio são as melhores da região.

Vale Central

O Vale Central engloba outros vários vales, como Maipo, Rapel, Curicó e Maule.

1) Vale do Maipo

O Vale do Maipo é uma das mais históricas regiões produtoras do Chile. É o local mais próximo da capital Santiago e onde a uva Cabernet Sauvignon brilha mais intensamente.

2) Vale de Rapel

Rapel é um vale bastante extenso que percorre grande parte das montanhas chilenas Essa região tem grande rendimento na produção de vinhos, sendo responsável por cerca de um quarto do total. As uvas tintas têm destaque por lá, mas também há grandes brancos.

Colchagua

Localizada mais ao sul do Rapel, Colchagua tem clima quente e frescor das brisas oceânicas. Possui grande potencial, sobretudo com as uvas Cabernet Sauvignon, Carménère e Syrah.

Cachapoal

O Cachapoal está localizado próximo aos Andes e produz os vinhos mais elegantes do país. Os vinhos tintos, com uvas de origem francesa, são os que mais se destacam.  

3) Curicó

A região de Curicó está cercada por montanhas e tem um clima muito peculiar. As cadeias montanhosas bloqueiam as influências marítimas e isolam os vinhedos. Miguel Torres, uma dos principais nomes da viticultura espanhola, se estabeleceu no local, elevando o nível da região.

4) Vale do Maule

O Maule é a região de maior extensão territorial do Chile. Por lá, são elaborados os mais variados tipos de vinhos e cultivadas as mais diversas castas. Embora esteja mais associado à quantidade do que à qualidade, o Maule produz vinhos de excelência também.

Região Sul

Ao sul, a altitude é mais baixa e os vinhos refletem essa característica topográfica.

1) Vale do Itata

O rio Itata forma um vale mais baixo, por causa da perda de altitude da Cordilheira da Costa. As uvas brancas se destacam na região, principalmente a Moscatel de Alexandria.

2) Vale de Bío-Bío

Esse vale é uma região fria e com colheitas tardias. É uma área desafiadora para o cultivo de vinhedos. O Vale de Malleco está inserido ali. Uvas aromáticas, como a Pinot Noir, a Riesling e a Gewürztraminer, têm se destacado em Bío-Bío.