/Por Erwane Kaloudoff

The Drops of God, Les Gouttes de Dieu e Kami no Shizuku: nomes em três idiomas para uma história em quadrinhos japonesa – o mangá – sem super-heróis, poderes mágicos nem máquinas letais. Os irmãos Shin e Yuko Kibayashi criaram o enredo, em 2004, sob o pseudônimo Tadashi Agi.

Apaixonados por vinho, eles colocaram a bebida no centro da trama e, recentemente, têm causado um rebuliço no mercado oriental: os rótulos mencionados tiveram um aumento significativo nas vendas na Coreia do Sul e no Japão, chegando a 30% em alguns exemplares.

A história gira em torno do jovem Shizuku Kanzaki, filho de um dos maiores críticos de vinho do mundo, Yutaka Kanzaki, uma espécie de Robert Parker do Oriente.

Distante do filho, Yutaka falece logo no início do primeiro volume e, em testamento, faz um desafio aos dois filhos, Shizuku e Issei (adotado uma semana antes da morte dele): encontrar e identificar corretamente 13 vinhos, 12 que são chamados de “Os Doze Apóstolos” e um que é “A Gota de Deus”.

Só um vencedor teria direito à herança: uma mansão e uma coleção de vinhos lendários. Daí por diante, o leitor acompanha passo a passo as aventuras de dois irmãos inimigos. O primeiro, Shizuku Kanzaki, é um degustador neófito, com um paladar excepcional e de bom caráter. O segundo, Issei Tomine, é um sommelier famoso, arrogante e oportunista.

Herança e cultura do vinho

Tudo se passa em torno dos princípios da transmissão do saber e da experiência. O texto é leve e instigante: o filho Shizuku procura dominar os segredos dos melhores vinhos do mundo. Nessa busca, ele é acompanhado por um mendigo alcoólatra, uma estagiária-sommelière e um amigo louco por vinhos italianos.

Nos 44 volumes de The Drops of God – disponíveis em inglês na Amazon –, o leitor percorre o planeta e segue os passos dos dois heróis. No enredo, é possível descobrir os vinhos que os personagens degustam em um ambiente poético e sensorial. A preocupação pedagógica dos autores permite conhecer rótulos famosos, como um Château Latour 2005, e descobertas como o Champagne Marc Hebrart.

Curiosidades rabiscadas

  • Shizuku Kanzaki possui habilidade de análise de um superespecialista. Porém, antes da aventura, nunca bebeu uma gota de vinho. 
  • Em 2009, os autores e irmãos Kibayashi foram votados como duas das 50 pessoas mais influentes na indústria do vinho pela revista inglesa Decanter. 
  • The Drops of God foi considerado também pela Decanter como a publicação mais influente dos últimos 20 anos. 
  • O mangá é uma espécie de O Código Da Vinci que se passa nos bares de Tóquio. É uma história cheia de mistérios, metáforas e comparações inusitadas, e proporciona uma análise surreal de vinhos (franceses, muitas vezes).
  • Após a menção de o Château Mont-Pérat 2001 ser parecido com Freddie Mercury e a banda Queen, uma importadora taiuanesa desse vinho vendeu 50 caixas em dois dias. 
  • Foi eleito o “melhor livro de vinhos do mundo” pelo Gourmand World Cookbook Awards 2009 e o “melhor seinen” no Polymanga 2009. Os autores receberam o Grande Prêmio dos Vinhos Franceses de 2010.