Para ficar de olho em 2022! Especialistas indicam quais as quatro principais tendências no mundo do vinho para este ano. E a gente também faz três apostas. 

Vinhos tranquilos de Champagne

Christina Rasmussen, cofundadora da plataforma on-line Littlewine Co., sediada na Inglaterra, prevê um aumento nos vinhos tranquilos da região de espumante mais famosa da França. “Devido às mudanças climáticas, algumas áreas do norte da França agora são bons terroirs para a produção de vinho tranquilo, e em Champagne isso é particularmente evidente.

Portugueses mais pop que nunca

Anita Musi, especialista em vinhos finos da importadora Evaton, sediada em Connecticut (EUA), sente que Portugal está no pico da popularidade. “É um destino gastronômico fantástico para explorar, e isso inclui os vinhos”, diz ela, acreditando que os consumidores continuarão a descobrir a riqueza do país em grandes garrafas em 2022.

“Eles são versáteis e acessíveis em comparação a outras regiões.” Anita também destaca a versatilidade do Porto nos coquetéis e prevê que ele também será tendência.

Consciência sustentável e social

Matt Crafton, enólogo-chefe do Château Montelena, da Califórnia (EUA), observa um aumento no interesse por marcas que são ambientalmente conscientes e investem no bem-estar dos funcionários.

“Quando se trata de questões sociais e sustentabilidade, os consumidores querem gastar de uma forma que seja compatível com os valores deles. É por isso que acho que continuaremos a ver mais e mais perguntas sobre as pessoas por trás dos vinhos e um tremendo interesse em apoiar vinícolas pertencentes a mulheres.”

Problemas na cadeia de abastecimento

Infelizmente, eles serão recorrentes em 2022. No entanto, Lexi Jones, cofundadora da Amlière Imports, da Califórnia (EUA), acredita que isso levará a um enfoque na qualidade. “Será mais importante do que nunca apoiar vinhos de pequena produção e aqueles que são ecologicamente corretos.”

Vanessa Conlin MW, chefe de vinhos da plataforma on-line Wine Access, sediada nos Estados Unidos, prevê interrupções no fornecimento consistente – o que, por sua vez, fará com que os preços subam. “As trágicas geadas e granizo em Bordeaux, Borgonha e Vale do Loire serão sentidas pelos consumidores, pois os vinhos dessas regiões clássicas serão exportados em quantidades menores. O impacto dos incêndios em Napa em 2020 também vai começar a ser sentido.” 

Vinho em lata e bag-in-box

Os vinhos em lata e bag-in-box, as caixas que vêm com torneirinha, não são uma grande novidade, mas estão se consolidando no mercado a passos largos. Sobretudo com o aumento do consumo do público mais jovem, que busca uma bebida descontraída, fácil de beber, de gelar e com preços acessíveis.

A versão em lata é muito prática, podendo ser apreciada diretamente da lata. Atualmente há muitas opções disponíveis, de tintos, brancos, rosés, frisantes e espumantes, inclusive de marcas brasileiras.

A opção bag-in-box é bastante popular nos Estados Unidos e tem crescido por aqui. Você encontra tanto rótulos nacionais quanto importados. A vantagem é que a embalagem conserva o vinho por mais tempo, já que o contato com o oxigênio é restrito. 

Vinho sem álcool

Não é nenhum segredo que cada vez mais pessoas tem buscado um estilo de vida mais saudável. Seguindo essa vertente — e apesar dos benefícios comprovados do vinho tradicional para a saúde —, muita gente tem se interessado pelos vinhos sem álcool.

E não, o vinho não alcoólico não é o suco de uva. A bebida é feita a partir da fermentação das uvas viníferas. Porém, antes de ser engarrafado, o álcool é retirado do vinho. Os exemplares secos sem álcool são mais adstringentes, enquanto os suaves são mais adocicados que os alcoólicos.

Drinques prontos à base de vinho

Uma tendência que tem se destacado bastante é a dos drinques prontos feitos de vinho. Sangria, clericot, portônica e muitos outros têm feito sucesso, principalmente entre os bebedores mais jovens. São bebidas leves e descompromissadas, que têm tudo a ver com eventos sociais. Vieram para ficar!