/Por Ana Beatriz Miranda

A Pinot Noir é uma das uvas mais aclamadas por enófilos e especialistas. Ela é também uma das mais versáteis por sua capacidade de dar origem a vinhos brancos, rosés, tintos e espumantes. Tudo depende da escolha do produtor e das técnicas de vinificação para os vários tipos de vinhos.  

Vinho branco de Pinot Noir

A polpa da uva Pinot Noir não é tinta, ela é amarelo-esverdeada, bem pálida, assim como a maioria das uvas tintas. O que confere a cor exuberante dos vinhos tintos é a casca das uvas tintas. Logo, na elaboração do vinho branco de Pinot Noir (conhecido como vin gris), as cascas são separadas no começo do processo.

  • os aromas normalmente são de maçã assada, raspas de laranja, gengibre e mel.

Vinho rosé de Pinot Noir

Existem várias técnicas para a elaboração de vinho rosé. Todas elas têm relação com o tempo em que o mosto das uvas fica em contato com as cascas. Quanto mais tempo, mais intensa a cor. O vinho rosé de Pinot Noir pode ter uma gama variada de cores rosadas, dependendo do estilo que se quer obter.

  • os aromas mais comuns são cereja, rosa, ruibarbo e ameixa mirabelle.

Vinho tinto de Pinot Noir

Entre os vários tipos de vinhos que a Pinot Noir dá origem, o vinho tinto é o mais comum. Ele é elaborado em contato com as cascas das uvas, adquirindo cor. Como a Pinot Noir é uma uva de casca fina, a coloração não fica muito forte, atingindo o pigmento característico da Pinot, vermelho rubi de pálido a médio.

  • os aromas típicos do Pinot Noir tinto são de cereja, framboesa, cravo e cogumelos.   

Espumante de Pinot Noir

O espumante de Pinot Noir é feito a partir do vinho base branco de Pinot. Ele então é fermentado de novo para a obtenção do perlage. São os chamados espumantes blanc de noirs, feitos de uvas tintas. Champagne costuma elaborar grandes champanhes por esse método, mas em todo mundo é possível encontrar. A

Pinot Noir é a uva tinta mais usada, ao lado da Pinot Meunier. O resultado é uma bebida borbulhante mais intensa e encorpada, pelo brevíssimo contato com as cascas no começo do processo de produção.

  • os aromas frequentes são de cereja branca, limão, gengibre e rosa.