/Por Ana Beatriz Miranda

Um dos lugares mais românticos da França, o Vale do Loire é destino certo para quem aprecia bons vinhos. A região ostenta uma das maiores diversidades vinícolas do país, dando origem a exemplares dos mais diferentes estilos.

Embora produza tipos diversos, os vinhos brancos secos do Loire são os mais célebres. Mas não se engane. O vale produz tintos impecáveis, além de espumantes e vinhos doces míticos.

Localização, terroir e uvas

O rio Loire, Patrimônio Mundial da UNESCO desde 2000, é o mais extenso da França e corta o vale de mesmo nome, que fica no oeste francês. Os vinhedos ocupam cerca de 65 mil hectares e se distribuem às suas margens e de seus afluentes.

O clima da região é quase totalmente influenciado pelo mar, até Saumur. De Tours a Nevers, o clima continental predomina. Quanto ao solo, há uma boa variedade, o que explica a adaptação de muitas variedades de uvas.

As paisagens parecem saídas de contos de fadas, com castelos históricos, colinas verdejantes, jardins coloridos e vilas conservadas. A maior parte das construções datam da Idade Média e do Renascimento, período de intensa atividade criativa arquitetônica, cultural e intelectualmente.

Por séculos a fio, o Vale do Loire foi o cantinho preferido da realeza e nobreza francesa, ganhando a alcunha de “jardim da França“. Hoje é possível visitar e se impressionar pela grandiosidade dos castelos, uma coleção de 22 construções. Chambord, Chenonceau, Sully-sur-Loire, Amboise e Blois são alguns deles.

As uvas mais cultivadas no Vale de Loire são:

Denominações de Origem e classificações

O Vale do Loire possui quatro sub-regiões: Nantais, Anjou-Saumur, Touraine e Centre-Loire. Alguns vinhedos da região são classificados como superiores. É o caso do cru Communaux, considerado o melhor de todos. Goulaine, Le Pallet, Mouzillon Tilières, Château-Thébaud, Gorges, Monnières-Saint-Fiacre e Clisson também têm destaque. Há um único vinhedo com o status de grand cru, o Quarts de Chaume, que produz um Chenin Blanc de altíssimo nível.