/Por Tânia Nogueira

Alguns minutos no Salão do Vinho no hotel e cassino Enjoy Punta del Este bastam para perceber que se trata de um evento diferente de todos do gênero. Para começar, abre às 9 horas da noite e termina à 1 hora da manhã.

Promovido anualmente pelo Enjoy, hotel e cassino mais famoso do balneário uruguaio, reúne boa parte das bodegas do país e alguns importadores locais. Porém, tem também DJ e comida boa e farta, além de muita gente jovem e animada circulando entre os estandes.

Detalhe: quase não há cuspidores. O povo está ali para beber e se divertir. Com seus quilômetros de praias de areia clara e mar azul, bares e restaurantes luxuosos, mansões à beira-mar e paradores (beach clubs) badalados, Maldonado, o departamento onde está Punta del Este, é inteiramente uma festa.

Poucos destinos de enoturismo no mundo – salvo a Cotê d’Azur, na França, e Santorini, na Grécia – são comparáveis em animação. Além de praia e balada, no entanto, Maldonado tem a vantagem de ainda oferecer a opção de se refugiar no campo. 

Nova página na história

A viticultura na região é recente. Não tem 20 anos. Portanto, o enoturismo também. O estilo de vinho ali produzido é bastante diferente dos tannats encorpados e densos de Canelones que conhecemos. “São vinhos mais frescos, mais alinhados com as tendências internacionais”, diz Darvry Amaro, gerente de alimentos e bebidas do Enjoy Punta del Este.

O terroir especial tem atraído produtores experientes e novatos. “O terreno é poroso, granítico, pouco fértil e com grande drenagem”, explica a jornalista Viviana del Rio, CCO da Bodegas del Uruguay.

“A altura, que não ultrapassa 300 metros, e a proximidade do mar garantem ventos límpidos e excelente saúde para as uvas.” Segundo ela, atualmente existem lá cerca de 50 produtores.

A primeira bodega a se instalar ali foi a Alto las Ballenas, em 2001. “Antes mesmo de ter vinhos, já recebíamos visitas”, conta Paula Pivel, enóloga e sócia do marido, Álvaro Lorenzo, na empresa.

“Numa viagem à França, tínhamos conhecido um grupo de suecos e comentado sobre o projeto. No ano seguinte, eles apareceram aqui num ônibus. Fizemos um piquenique nas pedras e tomamos um sauvignon blanc da Bodega Carrau.”

Até hoje a recepção é informal. Há um mirante com uma vista maravilhosa, o pôr do Sol mais incrível da região, petiscos gostosos e alguns dos melhores vinhos do Uruguai, além da simpatia de Paula, Lorenzo ou Pablo Riccardi, o diretor de marketing e turismo, que recebem pessoalmente os visitantes. O preço dos passeios e degustações começa em 35 dólares. É necessário fazer reserva, assim como para todas as vinícolas a seguir. 

Lista de atrações

Bodega Garzón tem uma estrutura grande e bem montada. O prédio de arquitetura contemporânea já vale a visita, mas a vinícola ainda tem o restaurante do aclamado chef argentino Francis Malmann, uma série de experiências (a partir de 27 dólares) e vinhos superpremiados.

Recém-inaugurado, o receptivo da Bodega del Toro é puro charme, com um wine bar envidraçado em meio aos vinhedos e à mata local com vista para o Cerro (morro) Pan de Azúcar e para o mar. As experiências custam cerca de 20 dólares. É possível também pedir almoço ou simplesmente comprar uma garrafa para beber.

Quem gosta de vinho e enoturismo não necessariamente prefere ficar isolado. Para quem gosta de estar perto da agitação da cidade, o hotel Enjoy Punta del Leste é uma ótima opção. Lá está o maior cassino da cidade, que funciona 24 horas por dia.

Possui apartamentos com uma vista incrível, sete restaurantes, spa, piscinas e estrutura para receber crianças. Oferece pacotes de três diárias a partir de 1.016 dólares por pessoa em apartamento duplo, com aéreo incluído.

Sentar no refinado restaurante St. Tropez, escolher um prato e pedir um bom vinho uruguaio pode ser um contraponto interessante para um dia que começou com os pés no barro de um vinhedo. A adega do restaurante gourmet do Enjoy tem 223 rótulos.

O Ovo Beach Club, bem em frente ao hotel, é imperdível mesmo para quem não está hospedado. Sua comida nikkei é deliciosa e as baladinhas do crepúsculo, bastante animadas.

Para quem quer absoluto sossego, duas opções são o Fasano Las Piedras e o Sacromonte Wine Lodge. As diárias para casal custam, respectivamente, a partir de 400 e 550 dólares.

Bastante exclusivo também, mas mais perto da badalação, é o Bahia Vik (a partir de 400 dólares), do mesmo grupo do hotel-vinícola de ultraluxo do Chile. Fica ao lado do parador La Susana, também do grupo, um dos mais bem cotados da animada Praia de José Ignácio.

Para quem quer gastar menos, o hostel Wanderlust (também do grupo Vik e em José Ignácio) tem apartamentos a partir de 85 dólares. Ali, no bar, o cliente encontra principalmente cervejas artesanais. Em Maldonado, isso também harmoniza com enoturismo.