/Por Ana Beatriz Miranda

Um enófilo não muito experiente pode tomar um susto ao se deparar com borras do vinho na taça ou na garrafa. Mas não há o que temer e nem se preocupar. As borras são sedimentos, absolutamente naturais e não interferem em nada na experiência com a bebida. Não se trata de um defeito e pode ter papel fundamental nos aromas e sabores da bebida. 

De onde vem as borras?

Há vários tipos de borras e elas podem vir de várias etapas da elaboração do vinho. De forma genérica, existem dois grandes grupos de borras. Primeiro os sedimentos chamados de diamantes do vinho, os cristais de tartarato. Eles são neutros e não alteram em nada o gosto do vinho. Segundo as borras finas, semelhantes a um pó, que se misturam ao líquido e contribuem para aromas e sabores peculiares. 

Nesse segundo grupo, existem várias possibilidades. Após a fermentação, é natural que os sedimentos se depositem no fundo dos tanques de aço inoxidável. Eles podem ser cascas, sementes e leveduras mortas.

Por isso, a filtragem e a clarificação são etapas comuns da elaboração do vinho. Nelas, esses componentes sólidos são eliminados para que o líquido fique límpido e sem sedimentos. Contudo, muitos produtores optam por não realizar essas técnicas, no caso de vinícolas sustentáveis e adeptas de práticas com o mínimo de intervenção. 

Vinho não filtrados e vinhos sur lie

Sendo assim, os vinhos não filtrados acabam tendo contato com as borras finas, que contribuem com suas características. Há também quem deixe intencionalmente o líquido em contato com as borras apenas por determinado tempo, o chamado sur lie, muito comum em espumantes. A filtragem é feita, ou não, antes do engarrafamento. Depende do estilo de vinho que se quer obter. 

Borras do vinho mesmo com filtragem?

Ainda que o vinho passe por filtragem, ele pode ter acúmulo de borras com a sua evolução natural de envelhecimento, tanto em tintos quanto em brancos. São sedimentos inofensivos e não alteram a experiência de degustação, exceto por causar uma sensação esquisita na boca. 

Não quer borras? Bote o decanter para jogo

Se você não quer sentir as borras na boca, a solução é bem simples: é só decantar o vinho. Para os exemplares mais simples, cerca de 15 minutos bastam. Se ainda assim você sentir que há borras, aí é melhor filtrar o líquido usando uma peneira fininha ou até um pano limpo.