/Por Marjorie Zoppei

Um grupo de vinhedos europeus liderados pelo vinicultor dissidente de Bordelais Loïc Pasquet se uniu para defender as videiras não enxertadas e buscar o reconhecimento da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Eles realizaram a primeira reunião em janeiro de 2020, pouco antes da pandemia, com pessoas da França, Espanha, Itália, Alemanha, Grécia e Suíça. Integrar a lista ajudaria a aumentar a conscientização dos bebedores de vinho sobre o valor histórico e cultural das videiras não enxertadas.

Também evitaria que vinhedos não enxertados – alguns dos quais podem datar de tempos pré-filoxera – fossem desenraizados e também incentivaria os produtores a plantar novos.