/Por Ana Beatriz Miranda

Vinho suave e vinho soave são a mesma coisa? Não! A mera troca de vogais aqui faz toda a diferença. Vinho suave é um termo que desperta controvérsias no mundo da nossa bebida favorita. Trata-se de uma classificação quanto ao açúcar residual.

Segundo a legislação brasileira, o vinho suave (ou doce) deve ter ao menos 25 gramas de açúcar por litro e no máximo 80.  A polêmica é por causa da má fama que alguns exemplares ganharam por causa do desequilíbrio e pobreza de aromas e sabores. Mas é claro que há rótulos doces de excelência e renome, como os nobres — e caros — Sauternes e Tokaji.  

E vinho soave?

Soave é uma região da Itália, mais especificamente do Vêneto, na província de Verona. É uma denominação de origem cujos vinhedos se tornaram patrimônio rural do país, dada sua importância econômica e cultural.

Ao contrário do que a semelhança com o nome suave em português, o vinho soave é seco. O nome soave é uma referência a “suevos”, um povo bárbaro que viveu na Itália no século 1 a.C. e cultivava videiras.      

Uvas, estilos e harmonização

O vinho soave é elaborado principalmente com a uva Garganega, mas a denominação também permite o uso de outras brancas, com destaque para a Trebbiano, chamada na região de Trebbiano di Soave.

A Garganega é uma branca exuberante, embora seus aromas sejam delicados, realçando amêndoas e flores brancas. A Trebbiano traz um toque picante e vivaz ao soave. De forma geral, os aromas que mais aparecem são de pêssego, melão, raspas de laranja, manjerona doce e nuances salinas. 

São dois os estilos elaborados: um mais simples, para o dia a dia. E outro mais complexo. O primeiro é um branco leve, que passa um tempo em tanques de inox e lembra rótulos de Sauvignon Blanc e Pinot Grigio.

O último é rico e mais estruturado, envelhecido em barricas de carvalho, com aromas de marmelada, limão, mel e semente de funcho. Existe também o espumante soave, mais difundido no mercado interno italiano, superinteressante e moderno. 

Todos os estilos de soave são bem secos e combinam perfeitamente com a gastronomia italiana à base de frutos do mar, de risotos a massas, passando por receitas mais leves. O importante é se atentar aos ingredientes e equiparar o vinho ao peso da receita, para que um não se sobreponha ao outro. 

Vinhos da Itália na Sociedade da Mesa:

vinho
Itália
Região: Treviso
2018 / 750 ml / ESPUMANTE
Espumante Tutela Prosecco Di Treviso Extra Dry
R$ 102,35
MAIS DETALHES
vinho
Itália
Região: Puglia
2018 / 750 ml / ROSE
Vinho Rose Poggio Alto Zinfandel Blush 2018
R$ 51,17
MAIS DETALHES
vinho
Itália
Região: Sicília
2019 / 750 ml / BRANCO
Trovati Bianco 2019
R$ 102,35
MAIS DETALHES
vinho
Itália
Região: Basilicata
2017 / 750 ml / TINTO
Vinho Tinto Labellum Aglianico Del Vulture 2017
R$ 351,76
MAIS DETALHES
vinho
Itália
Região: Molise
2018 / 750 ml / BRANCO
Vinho Branco Campo In Mare Molise Falanghina 2018
R$ 351,76
MAIS DETALHES
vinho
Itália
Região: Puglia
2018 / 750 ml / BRANCO
Vinho Branco 888 Vermentino Puglia 2018
R$ 51,17
MAIS DETALHES
vinho
Itália
Região: Delle Venezie
2018 / 750 ml / ROSE
Ca’ Lunghetta Pinot Grigio Rosato 2018
R$ 102,35
MAIS DETALHES