/Por Ana Beatriz Miranda

Quando se fala em vinho com gelo, o termo icewine pode vir à mente. Mas na verdade é um grande engano. Icewine não tem nada a ver com acrescentar cubos de gelo na bebida, em dias quentes. São assuntos completamente distintos.

Icewine é um vinho licoroso, doce, feito a partir de uvas congeladas naturalmente nos vinhedos. Trata-se de uma técnica complexa e que depende do clima. Além de congeladas, as uvas precisam estar totalmente maduras para serem colhidas. 

A elaboração do icewine

A colheita ocorre no inverno, muito depois da época tradicional, no verão. Por isso, os cachos requerem manejo atencioso, para evitar que passem do ponto ou sejam atacados por pragas. Para completar a dificuldade, as uvas devem ser colhidas de madrugada, a temperaturas negativas, para que se mantenham congeladas. 

As uvas congeladas concentram aromas, sabores e açúcares, tornando o mosto rico e denso. O rendimento é bem menor do que o processo natural, chegando a ser menos da metade. E o clima precisa colaborar para que o congelamento aconteça corretamente. Nem todo ano isso é possível. Por isso, os icewines são vinhos de preços elevados. Só que valem cada centavo. 

Regiões produtoras

O Canadá é o maior e mais conhecido produtor de icewine do mundo. Para se ter uma ideia, cerca de 75% dos icewines vêm de lá. Ao contrário de outros lugares, o clima frio do país é tão propício que tem safra todos os anos. Ontario e British Columbia são as regiões de destaque. 

A Alemanha também é um notável produtor de icewine, chamado de eiswein. Por lá, esse tipo de bebida é produzido desde o século 18, mas com períodos longos de distância entre as safras, por causa do clima que nem sempre colabora. Outros países que atingem temperaturas baixas como Áustria, Estados Unidos e Eslovênia têm produzido ótimos icewines, mas em escala irrisória.

As uvas precisam ter casca grossa e boa acidez para resistir às baixas temperaturas. Na Alemanha, a Riesling é a casta mais usada. No Canadá, se uva muito a Riesling e a Vidal, fruto do cruzamento da Trebbiano com a Rayon d’Or. Isso para os brancos, que são maioria. Contudo, há icewines tintos maravilhosos, principalmente feitos de Cabernet Franc

Como é o icewine?

Sendo um vinho licoroso doce, o icewine apresenta alto teor de açúcar residual. Mas ele não é enjoativo por conta da acidez, que equilibra a doçura. Os aromas e os sabores são potentes, bastante frutados. É um vinho longevo, que ainda fica perfeito para o consumo com anos de envelhecimento nas próprias garrafas. 

O icewine pode ser apreciado como aperitivo, para abrir refeições, ou digestivo, para encerrá-las. Também pode ser combinado com queijos azuis, por contraste, ou sobremesas, por afinidade.