Típica da Suíça, a raclette — que vem do francês racler, que significa “raspar” — é uma refeição com muito queijo derretido em cima da batata e outros ingredientes de sua preferência, como carnes, linguiças e salsichas. Veja como fazer a harmonização ideal.

Clássico queijo + vinho branco

Tanto a raclette quanto a fondue são pratos bastante gordurosos, o que pede um branco leve e fresco para contrabalançar e limpar o paladar. Boas opções são um sauvignon blanc do Loire ou um riesling da Nova Zelândia. Um intercâmbio gastronômico!

Se preferir, vá de tinto

A combinação fica um pouco mais desafiadora, especialmente se o vinho for mais tânico – que pode ficar escondido por causa da gordura do queijo. A sugestão é um tinto como o Beaujolais, que tem baixa concentração de taninos, é bastante vivo e muito frutado.

E por que não com rosé?

Os rosados oferecem vivacidade, leveza, notas de frutas vermelhas, evitando a armadilha da estrutura tânica. Uma boa opção é um rosé de zinfandel tanto dos Estados Unidos quanto do Chile, que são mais estruturados e com ótima acidez – a união perfeita entre branco e tinto. 

Fuja do óbvio com fortificados

Entre as opções, vale tentar com uma taça de Banyuls (branco ou tinto), um vinho que faz parte de uma denominação francesa de origem controlada (AOC), feito a partir de vinhas velhas cultivadas no condado de Roussillon, as encostas dos Pirineus catalães.