/Por Ana Beatriz Miranda

Os blends, também chamados de assemblages e cortes, são os vinhos elaborados a partir da mistura de uvas. Ao contrário dos vinhos varietais, que geralmente usam um tipo de casta em suas composições, com algumas exceções. 

O enólogo tem um mundo de possibilidades ao fazer blends de vinho. É possível explorar aromas e sabores únicos misturando diferentes uvas, de vinhedos distintos e tempo de amadurecimento variado. 

Como os blends de vinho são feitos? 

Há basicamente dois caminhos para a criação de um vinho blend. O produtor pode misturar as uvas antes da vinificação ou pode fazer a mistura dos vinhos vinificados individualmente.

Antigamente, a mistura de uvas antes do processo fermentativo era comum. É a chamada mistura de campo. Hoje apenas alguns vinhos do Porto são feitos dessa forma. 

A maioria dos blends é feita misturando os vinhos obtidos da vinificação de cada variedade de uva que será usada. Os vinhos são colocados separadamente em barris ou tanques de aço inoxidável para posteriormente o enólogo efetuar a mistura mágica. 

A arte do blend

Mais do que uma técnica de vinificação, o blend é uma arte. Os enólogos passam a carreira estudando como executar as melhores misturas. É uma junção de técnica, intuição e muita degustação. A prática é o segredo. Muitos assemblages levam anos para serem desenvolvidos e iterados até que a receita perfeita seja encontrada. 

Blends famosos

Com certeza você já notou que existem blends recorrentes. Cabernet Sauvignon com Merlot, Syrah com Grenache e Mourvèdre, por exemplo, são cortes clássicos. As regiões vitivinícolas históricas criaram os célebres blends que são referências no mundo do vinho.

Blends de Bordeaux

Talvez os assemblages mais conhecidos são os de Bordeaux. As cinco principais uvas misturadas no corte bordalês são Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Malbec e Petit Verdot. Quais serão usadas e em que porcentagens são as escolhas de ouro dos produtores. 

A Cabernet Sauvignon entra com estrutura, caráter herbáceo e textura. A Merlot traz aromas e sabores frutados e macios. A Cabernet Franc acrescenta sutileza e persistência. A Malbec enriquece os aromas e os sabores com exuberância. E a Petit Verdot traz cor, nuances florais e taninos. 

GSM, blend do Vale do Rhône

A mistura de Grenache, Syrah e Mourvèdre é outro blend de sucesso. A Grenache garante o caráter frutado, suculento, o bom potencial alcoólico e a finalização. A Syrah traz aromas e sabores picantes, além de cor. E a Mourvèdre completa o blend com aromas e sabores abastados, construindo uma cada mais profunda de corpo. 

Blends da Toscana

Na Toscana, Itália, é comum encontrar cortes com várias uvas, entre as autóctones italianas e as internacionais. Sangiovese, Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, por exemplo. 

Blends de Portugal

Em Portugal, os assemblages feitos a partir das uvas locais são famosos. Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz são misturas facilmente encontradas.