/Por Carolina Almeida

Há cerca de um ano, um corpo mumificado foi encontrado nas ruínas de Pompeia (Itália) junto a quatro corpos carbonizados e uma ânfora com mais de 6 litros de um líquido avermelhado: trata-se de um vinho com mais de 2 mil anos. Quem concluiu isso foi um grupo de pesquisadores da Universidade de Valência.

“Caso isso se confirme, será a primeira vez que é constatada a conservação de um vinho nesse estado, e ele será o mais antigo da história”, explicou o arqueólogo Llorenç Alapont. Antes dele, estudiosos já haviam encontrado vestígios da bebida em uma garrafa do ano de 325, que foi achada em 1867, na Alemanha.