/Por Ana Beatriz Miranda

Nenhuma estação combina mais com vinho do que o inverno. Embora seja uma verdade incontestável, não quer dizer que as outras não harmonizem, é claro. Para cada temporada há uvas e tipos de vinhos que agregam valor. Mas quando as temperaturas caem, a vontade de apreciar comidas e bebidas aconchegantes aumenta. E nossa bebida favorita é certamente a companhia perfeita. 

Os rótulos que têm mais a ver com a estação mais fria do ano são os mais intensos, estruturados e poderosos. Tintos são a preferência da maioria. Rosés e brancos também têm seu lugar, desde que sejam mais encorpados, com passagem por barricas de carvalho, por exemplo. 

Uvas e vinhos de inverno

Nebbiolo

A dona do Piemonte, Nebbiolo, é uma das uvas mais perfeitas para o frio. Apesar da análise visual mostrar um vinho meio pálido, que pode parecer leve, a realidade é que essa casta italiana é pura força. Acidez lá em cima e taninos também. Os célebres Barolo e Barbaresco são os imperdíveis. Decante por pelo menos 30 minutos e desfrute de aromas e sabores inesquecíveis. 

Shiraz australiano

A uva Shiraz, como a Syrah é chamada na Austrália, apresenta vinhos bem distintos de acordo com a região onde é cultivada. Há syrahs mais leves e existem os superpoderosos. O shiraz australiano, principalmente de Barossa Valley e McLaren Valley, é do segundo tipo, sem dúvida. Ele é a cara do inverno porque é robusto, grandioso, alcoólico e marcante, perfeito para os enófilos que gostam de potência. 

Sangiovese

Mais uma uva ícone da Itália que faz bonito na estação é a Sangiovese. Acidez e taninos lá em cima, como a Nebbiolo, mas com um perfil mais rústico e terroso. Os vinhos elaborados com ela são perfeitos para harmonizar com as mais variadas receitas de inverno. Talvez seja a uva coringa da estação. Aqui vale o grande leque de sangioveses, dos mais descomplicados toscanos, passando pelos Chiantis até chegar aos maravilhosos Brunellos

Cabernet Sauvignon

A rainha das uvas tintas, Cabernet Sauvignon, tem mil faces, inclusive a que combina com frio. Essa variedade é uma das melhores para harmonizar com comida. Além disso, ela tem uma versatilidade infinita. Sempre tem um cabernet diferente para ser descoberto. Os exemplares do Velho Mundo, geralmente mais elegantes, são os mais ideais, mas há rótulos imperdíveis da Califórnia e do Vale do Maipo, no Chile. 

Chardonnay

Não abre mão de um vinho branco? A Chardonnay é a uva branca do inverno. Escolha um exemplar que amadureça em barricas de carvalho, para que ele adquira os clássicos aromas e sabores cremosos e amanteigados, de baunilha, coco, caramelo. Os californianos e borgonheses são as escolhas certeiras.